Now Reading
Venda de novas linhas de telefone e internet 3G proibida em Porto Alegre
0

Venda de novas linhas de telefone e internet 3G proibida em Porto Alegre

by AllanS18/07/2012

Quatro empresas de telefonia móvel estão proibidas desde o dia 17 de comercializar novas linhas de celular em Porto Alegre. A medida foi determinada pelo Procon da cidade a partir de representação da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) do Rio Grande do Sul. O Procon tomou a iniciativa por considerar que há má qualidade nos serviços prestados. Argumenta que já recebeu 806 reclamações no ano contra as companhias. O órgão da prefeitura diz que só vai voltar a permitir a venda se as operadoras publicarem comunicado em rádio, TV e jornal informando pontos em que o sinal de telefonia tem problemas, também vai exigir que as empresas deem descontos nas faturas dos usuários proporcionais ao tempo em que seus serviços ficaram sem funcionar. As quatro empresas foram notificadas na manhã desta segunda-feira. As lojas podem apenas comercializar novos aparelhos e ofertar serviços de portabilidade.

Já o Sindicato das Empresas de Telefonia diz que a medida é “sem sentido” e “prejudicial aos consumidores”.
O principal argumento das operadoras é o fato de Porto Alegre ter uma série de normas restringindo a instalação de mais antenas de telefonia. Eduardo Levy, presidente-executivo do sindicato, diz que, sem mais antenas, não é possível melhorar as condições de serviço. “É uma exigência da tecnologia. A medida que cresce a demanda, a única saída técnica em qualquer lugar do mundo é instalar mais antenas.”
Flávia Canto Pereira, diretora-executiva do Procon local, diz que a restrição não é uma justificativa suficiente porque a representação da OAB também cita a existência dos mesmos problemas em outras cidades do Estado.

Porém, ainda existem locais que comercializam as novas linhas, locais que não foram cobertos pela fiscalização,
de acordo com a diretora executiva do Procon, Flávia do Canto Pereira, fiscais do órgão estão percorrendo as principais lojas da cidade, mas não há pessoal suficiente para cobrir todo o comércio. “Eventualmente, alguma coisa vai ficar de fora da fiscalização”, diz Flávia. A multa prevista para o descumprimento da medida é de R$ 555 mil, além de R$ 555 para cada nova linha ou plano de internet comercializado.

De acordo com a prefeitura, as empresas concordaram em cumprir a determinação do Procon e informar sobre as falhas que podem ocorrer no sinal, além de oferecerem descontos aos clientes prejudicados. Um grupo de trabalho também foi criado para propor mudanças na legislação para a instalação de antenas na capital, apontada pelas empresas como a principal causa do problema. A suspensão da venda, no entanto, foi mantida. As operadoras tentam derrubar a medida na Justiça.

——————————–

Fontes: g1.globo.com, parana-online.com.br

Comentarios

What's your reaction?
Amei!
0%
Interessante!
0%
Meh...!
0%
Não gostei!
0%
Triste!
0%
About The Author
AllanS
AllanS

Allan Silva, sempre antenado no que há de mais novo em quesito tecnologia, principalmente portáteis, games, consoles e periféricos. Música, tecnologia e fotografia são as minhas paixões!

Leave a Response